Cora Coralina, mulher-mãe-doceira-poeta, e a relação de gênero e espaço na construção de sentidos e de identidade

  • Sofia Regina Paiva Ribeiro CEJA Donaninha Arruda

Resumo

Em Goiás, os doces fazem parte da identidade cultural. Ana Lins, Cora Coralina, além de encantar com doces era escritora. Sua obra literária descreve as lembranças da infância e as dimensões socioculturais ocorridas na passagem do século XIX para o XX, mormente em relação à mulher, que se mostra não como gênero frágil, mas como um ser que busca voz numa sociedade patriarcalista. Figura emblemática, um ícone da luta contra os preconceitos de sua época, ficou conhecida pela sua independência dos modismos literários. Busca-se analisar, através de estudos bibliográficos, a contribuição de Coralina no cenário literário atinente à problemática relacionada à questão de gênero e ao processo identitário entre sujeito e cidade. Como arcabouço teórico utiliza-se a análise do sujeito no discurso, pautado em Pêcheux e Foucault. Em seu legado poético é possível inferir que identidade, sujeitos e lugares aparecem entrelaçados através da descrição física, social e cultural da cidade de Goiás Velho. Ressalta-se que seu exemplo de vida, dedicação e persistência são exemplo para várias mulheres, dentre elas: alunas da educação de jovens e adultos – EJA.

Publicado
19/12/2018