LIDERANÇAS NAS COMUNIDADES: CONTRIBUIÇÕES DE MULHERES INDÍGENAS E QUILOMBOLAS

  • Marilene Rodrigues da Silva Nogueira Escola de Ensino Médio Luiza Bezerra de Farias / Secretaria Municipal de Educação de Tururu/CE
  • Francisco Jeovane do Nascimento SEDUC/CE (Escola de Ensino Médio Luiza Bezerra de Farias, Tururu/CE)

Resumo

O presente artigo constitui-se como síntese de uma pesquisa desenvolvida no âmbito do ensino médio, no contexto da Escola Estadual Luiza Bezerra de Farias. O objetivo principal da pesquisa reportou a uma análise reflexiva e histórica sobre o papel da mulher indígena e quilombola dentro de suas comunidades, destacando a sua luta em defesa dos direitos sociais destas comunidades, evidenciando a temática igualdade de gênero, oportunizando o conhecimento relativo à história construída por mulheres quilombolas e indígenas. Visando atingir o objetivo proposto, recorreu-se a leitura de materiais como livros e revistas, visitas e observações em alguns locais como Conceição dos Caetanos, Água Preta (comunidades quilombolas em Tururu), Marinheiros (comunidade indígena em Itapipoca) e As Pontes (comunidade indígena em Caucaia). O estudo embasou-se no método qualitativo da pesquisa, no qual como procedimentos metodológicos utilizaram-se a observação e a entrevista e o diário de bordo como instrumento de recolha de dados. A pesquisa possibilitou analisar a figura da mulher como protagonista da sua história, uma vez que é necessário conhecer a história onde de fato acontece, já que é perceptível a presença da mulher como peça chave dentro de suas comunidades. Os resultados evidenciaram que a luta por direitos da mulher quilombola e indígena é constante, não está apregoada em um só ponto, mas envolve muitas questões, enfrentando diversos “inimigos”, como o preconceito, o sistema social e o sistema de governo.

Publicado
14/12/2020